Cabildo de Buenos Aires, aquele prédio branco que fica na Praça de Maio


O Cabildo de Buenos Aires, era a sede da administração colonial, e foi aonde aconteceu a reunião que deu início ao processo de independência da Argentina. 

Ocupa o mesmo lugar desde 1580, mas o seu edifício sofreu sucessivas modificações. 


As primeiras referencias do Cabildo proveem do começo do século XVII. 

Para 1608, tinha paredes de barro e teto de palha. 

No interior se encontrava dividido em duas partes: um salão para reuniões e outro que funcionava como prisão. 


As telhas chegaram dois anos mais tarde e por volta da metade do século, o Cabildo tinha um balcão e torres de madeira e barro. 

Para 1725, o edifício estava em muito mau estado e decidiram pela sua demolição. 


Em troca começou a levantar-se um novo, a partir do projeto do italiano Andrés Blanqui. 

Assim, começava a tomar forma o Cabildo tal como o conhecemos hoje.



Em 1748 ficou pronto o primeiro andar e, em 1773 apareceu a torre - um pouco mais alta que a atual - cuja cúpula era coberta com um teto de lata. 

Esse foi o Cabildo dos patriotas de 1810 e essa foi sua época de maior esplendor. 

O Cabildo como instituição foi revogado em 1821 e por quase 60 anos funcionou como um edifício administrativo. 


Em 1894 foram suprimidos três arcos da ala norte para dar passagem à Avenida de Maio.

Em 1931 foram demolidos mais três da ala sul para o traçado da Avenida Julio A. Roca. Para 1940, o arquiteto Mario Buschiazzo realizou a última reforma importante do edifício, que resgatou, em parte, o desenho original de Blanqui. 

Desde 1938 o Cabildo abriga a Comisión Nacional de Museos y de Monumentos y Lugares Históricos, e o Museo Histórico Nacional del Cabildo de Buenos Aires y de la Revolución de Mayo.



Museo Histórico Nacional del Cabildo

O Museu ocupa o edifício onde funcionou o Cabildo da Ciudad de la Trinidad y Puerto de Santa María de los Buenos Aires (primeiro nome de Buenos Aires), capital do Vice-reinado do Rio de la Plata. 

Em novembro de 1939 é aberto ao público pela primeira vez, habilitando-se somente as salas do térreo. 


Para comemorar o sesquicentenário da Revolução de Maio (1960), uma lei do Congresso legalizou sua criação e sua jurisdição nacional.

O patrimônio do Museu está conformado pelo próprio edifício e por suas coleções integradas por documentos, pinturas e objetos dos séculos XVII ao XX. 


Na Sala dedicada ao Cabildo como instituição se reflete a atividade que se realizava nos tempos da colônia espanhola e podemos ver, entre outros objetos, o Estandarte Real e a Arca de Caudales, onde se guardavam as moedas arrecadadas pelo Cabildo através da cobrança de impostos. 


Também, o Regulamento de Milícias de 1801, um documento que descreve como deviam conformar os cidadãos estes corpos armados para entrar em combate ante a necessidade de defender a cidade.


Para as festas do Bicentenário da Revolução de Maio se realizaram tarefas de refacção e entre as novidades se incorporaram modernos sistemas interativos de comunicação que favorecem a participação do público. 


O Museu do Cabildo conta com duas telas táteis interativas, uma com a imagem do quadro do “Cabildo Abierto del 22 de Mayo” e outra com as localizações dos pontos geográficos mais importantes da cidade de Buenos Aires no ano 1810 e sua localização em 2010.

Consulte os dias e horários de funcionamento das visitas.

Onde fica: Bolivar 65, Monserrat



Gostou das dicas? Então inscreva seu e-mail para receber todas as novidades.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Instagram

@depasseiopor