Quem são as mães da praça de maio? | cultura argentina


Quem visita a Praça de Maio em Buenos Aires, muitas vezes não tem ideia da quantidade de fatos históricos que aconteceram e ainda acontecem nesse lugar.

Você já ouviu falar nas Mães da Praça de Maio (Madres de la Plaza de Mayo)?

Elas são uma associação de mulheres, formada durante a ditadura militar na Argentina (1976-1983), que se reuniam na Plaza de Mayo, em Buenos Aires, inicialmente para exigir notícias de seus filhos desaparecidos durante a ditadura. 

Alguns pais, considerados subversivos, tiveram seus filhos retirados de sua guarda e colocados para a adoção durante os cinco anos que durou o golpe de estado. 

Quando a ditadura acabou, muitos filhos estavam sob a guarda de famílias de militares. 



Quando ficou estabelecido quem foram os responsáveis dos crimes de lesa humanidade e conseguiram que eles fossem responsabilizados.

O movimento continuou com o que elas entendiam ser "a luta que tentaram levar a cabo os seus filhos".

Mediante a mesma associação, com sua própria rádio, uma universidade (UPMPM), um programa de televisão, um café literário, um plano de casas sociais e uma creche infantil.

"Alerta! Alerta! Alerta que estan vivos, todos los ideales de los desaparecidos"

Um dos símbolos do movimento era esse lencinho que elas usavam na cabeça que acabou virando uma logomarca e pode ser visto em pinturas no chão da praça de maio.



Ainda hoje, todas as quintas-feiras, às 15h30, as mães realizam manifestações nessa mesma praça, em frente à Casa Rosada, buscando manter o desaparecimento de seus filhos vivo na memória de todos os argentinos.

Para conhecer melhor o trabalho acesse o site: madres.org

Para conhecer mais sobre essas e outras histórias, faça o Tour Traços de Buenos Aires e conheça os pontos turísticos de um ângulo diferente do tradicional.



Gostou das dicas? Então inscreva seu e-mail para receber todas as novidades.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Instagram

@depasseiopor