4 dicas de hábitos e costumes dos argentinos




Todo turista, em qualquer lugar, tem um sonho: conseguir integrar-se e mover-se como um verdadeiro nativo da cidade. 

Então para parecer um verdadeiro portenho aqui vão algumas dicas de como interagir com a cidade.


MOVER-SE PELA CIDADE

City, é assim que os portenhos se referem a Buenos Aires. 

À noite, sem trânsito, pode valer a pena tomar táxi: de dia, especialmente se você vai para o centro ou para a zona sul da cidade, o mais rápido é usar o metrô. 

O clima em Buenos Aires é muito amigável e as ruas são planas, quase nada de ladeiras, então, se não estiver com muita pressa, caminhar é uma excelente opção. 

Se decidir ainda assim tomar um táxi, veja as dicas para fazê-lo da melhor forma possível.



GORJETAS

Propina, é assim que se diz gorjeta em espanhol. 

Soa estranho, né? Mas não é nada ilegal, está tudo bem pagar propina aqui. 

Nos bares e restaurantes, os 10% do garçom não vem incluídos na conta, então você tem que pagar fora a parte quando estiver pagando sua conta. 

E se considerar que o atendimento foi excelente pode dar um 15% ou 20% de "propina". 

Não se confunda com o “cubierto” ou “servicio”, que é cobrado por alguns restaurantes mas não é o mesmo, isso são as entradas (pães e patês) que são servidas antes de chegar o seu pedido. 

Assegure-se sempre de ter dinheiro trocado para pagar a propina porque mesmo que o restaurante aceite cartão de crédito, o do garçom tem que ser pago em efetivo, já que o dinheiro entra direto para ele. 

Também tem que dar propina para os ajudantes dos hotéis, os que carregam as malas e abrem as portas. 

Não precisa dar propina ao taxista, a não ser que ele te ajude a carregar malas.



COMPRANDO

Em Buenos Aires não são comuns as promoções com mais de 50% de desconto mas dificilmente se paga o que chamamos “precio de lista”, ou seja, o valor integral do produto. 

As promoções dos cartões de crédito geralmente são para cartões emitidos na Argentina mas sempre é bom perguntar, ou senão, sempre se pode contar com um desconto no pagamento à vista (geralmente um 10%).  

Ojo que nem sempre os vendedores avisam, então antes de pagar, pergunte! 

Pechinchar só nas feiras e, em comércios de bairro, talvez. 

Não quer dizer que não exista a pechincha mas é que eles não são muito fãs do estilo. 

Comprando roupa e sapato, vale a pena ter em conta que o mundo dos tamanhos na Argentina é completamente anárquico: nem a numeração, nem as proporções são uniformes entre marcas, assim que sempre é bom experimentar antes de levar.

NAS RUAS

O movimento nas ruas de Buenos Aires é igual que em qualquer cidade grande: então, como em qualquer contexto de muita gente e muito movimento (transporte público, hora pico no centro) cuide bem a sua bolsa, suas sacolas, se estiver de mochila coloque-a diante do seu corpo e não para trás.

Outra situação são os famosos “arbolitos”: que é como são conhecidos os cambistas de rua que passam o dia gritando “cambio, cambio” ou “dólares, euros, reales” e te oferecem comprar e vender moeda estrangeira. 

Por mais insistentes que sejam, ou por mais tentador que seja o preço que te ofereçam, ignore: convém buscar um provedor mais confiável principalmente para evitar notas falsas. 

Veja aqui todas as dicas sobre fazer câmbio com segurança e se estiver em um hotel pode pedir informações de confiança para o pessoal da recepção.




SAIR PELA NOITE

A primeira regra para ter em conta é que em Buenos Aires tudo começa muito tarde: nenhuma saída noturna é exceção. 

Jantar antes das 20h não tem aonde, e se for na casa de um portenho, calcula que o jantar vai sair lá para as 21, 21:30. 

Além disso, em Buenos Aires, tem um costume que se chama “la sobremesa”, que é quando depois da comida, as pessoas ficam um tempo (de meia hora a infinito), tomando café e conversando, de modo que uma comida pode tranquilamente terminar à meia noite. 

Com a sorte de que o jantar termine nesse horário, você pode tranquilamente ir para um bar porque as festas costumam começar à 1h da manhã.  

Para as mulheres: Buenos Aires é uma cidade muito casual, salvo nas baladas mais exclusivas, para qualquer lado a mulherada vai sem salto fino (geralmente de plataformas) e com pouca maquiagem. 

Para os homens: calça jeans pode ir eventualmente em qualquer parte. O que não se aceita de jeito nenhum são bermuda e/ou chinelo, e em algumas baladas não se aceitam homens de tênis também. É bom sempre consultar o código de vestimenta da festa.

Aproveite as dicas e boa viagem!

Gostou das dicas? Então inscreva seu e-mail para receber todas as novidades.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Instagram

@depasseiopor