Em Buenos Aires é melhor ir na milonga ou no tango?




Emblema da cidade de Buenos Aires considerada por sua vez como a Capital Mundial do Tango.

Essa dança sensual e nostálgica está carregada de histórias, segredos e paixões, que hoje se manifestam nas letras, na música e na dança.

O que se vê nos shows e o que se pratica na milongas. 

Originário da região do Río de la Plata, o tango é fruto de uma fusão que une suas raízes na cultura africana dos escravos que chegaram às costas argentinas.

A qual se juntou com as culturas locais dos gaúchos e dos povos nativos, e ainda a contribuição da imigração europeia (principalmente espanhóis e italianos) e do Oriente Médio. 

Essa fusão tem sido tão ampla que inclusive o tango não pode ser compreendido sem a contribuição fundamental do acordeon.

Um instrumento originalmente criado na Alemanha para executar música religiosa, mas que aqui deu o estilo definitivo à música de Buenos Aires.




Casas de tango
 
A cidade possui numerosas tanguerías com orquestras e bailarinos ao vivo. 

Os lugares mais reconhecidos com espetáculos ao vivo.

Costumam incluir o jantar (com a possibilidade de optar entre a especialidade das carnes argentinas ou um menu internacional).




Aulas de tango
 
Na cidade são oferecidas aulas de dança em muitos centros culturais e milongas. 

As aulas duram entre uma e duas horas. 

O ideal, para poder realizar os primeiros passos de baile em uma pista é tomar quatro ou cinco aulas. 

Já no primeiro encontro os professores treinam os principiantes para o domínio do passo básico: oito simples movimentos que podem ser aprendidos em poucas horas.



Milongas
 
Na Cidade de Buenos Aires existem muitas milongas (lugares onde se assiste as pessoas dançarem tango).

Repartidas pelos diferentes bairros, nos que se organizam circuitos milongueros (uma milonga diferente abre cada noite da semana). 

Muitas organizam aulas (a cargo de professores especializados) antes do baile. 

Para novatos e iniciados, grupais ou individuais. Tango, milonga ou valsa. 

Antigos salões, cafés ou clubes de bairro dão lugar cada noite a uma milonga na que todos podem percorrer a pista girando em sentido contrario às agulhas do relógio. 

Nesses templos tangueros se escutam temas clássicos ou modernos: ecos de grandes figuras, como Carlos Gardel, Aníbal Troilo e Astor Piazzolla convivem com novos estilos contemporâneos. 

Distintas vozes e harmonias que dão renda solta a um mesmo fervor. 

Também existe, desde o ano de 2009, em que o tango foi declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela UNESCO, um espaço criado especialmente na cidade: o Teatro de la Ribera, no bairro de La Boca.

Toda a sua programação é dedicada exclusivamente à música portenha, com milongas, shows, aulas e exposições. 

Para quem quiser desfrutar de um espetáculo de tango em algum dos bares notáveis que possui na cidade, vale a pena dar uma volta pelo 
  • Café Tortoni (no mesmo edifício se encontra a Academia Nacional del Tango e o Museu Mundial do Tango), 
  • A Confitería Ideal, 
  • O El Querandí 
  • ou o Bar Sur
Que se destacam pela sua arquitetura, antiguidade ou relevância local.


Eventos e Festivais
 
Como Capital Mundial do Tango, as alternativas de eventos e festivais que se organizam ao longo de todo o ano são numerosas. 

O mais importante deles é o Tango Buenos Aires Festival y Mundial, que se realiza anualmente no mês de agosto. 


Gostou das dicas? Então inscreva seu e-mail para receber todas as novidades. É de graça!

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Instagram

@depasseiopor